Alencar insiste em estar na posse de Dilma, diz médico

O médico Roberto Kalil Filho revelou nesta tarde que o vice-presidente da República, José Alencar, cobra insistentemente da equipe do Hospital Sírio-Libanês uma forma de ele ir a Brasília e participar da cerimônia de posse da presidente eleita, Dilma Rousseff, marcada para o dia 1.º de janeiro. Segundo Kalil, está descartada a possibilidade de o deslocamento até a capital federal ser feito por meio de um avião-UTI, mas, dependendo da evolução do quadro clínico, Alencar poderia comparecer à posse acompanhado de uma equipe médica. "Ele fala nisso a todo minuto", disse Kalil.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

25 Dezembro 2010 | 13h39

De acordo com o médico, o vice-presidente já está há 24 horas sem hemorragia digestiva, o que não significa, porém, que o sangramento não possa voltar. "Hoje ele não teria essa condição (de ir à posse)", afirmou.

A ida de Alencar a Brasília depende de seu quadro continuar estável durante a semana e da avaliação diária da equipe médica. A decisão só será tomada na sexta-feira, dia 31, véspera do dia em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva passará o cargo a Dilma. "Nós esperamos que ele esteja em condição de ir."

Outro médico da equipe que atende Alencar, Raul Cutait, disse que o vice-presidente passou por nova sessão de hemodiálise na manhã de hoje. E confirmou que Alencar insiste em estar ao lado de Lula e Dilma no dia 1.º de janeiro. "É o desejo dele. Deus queira."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.