Alencar indica que não participará de campanha eleitoral

Vice se posiciona ao contrário do presidente Lula, que sugeriu que poderá subir no palanque

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

04 de julho de 2008 | 17h58

Ao contrário do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que sugeriu que poderá subir no palanque do candidato a prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB), o vice-presidente José Alencar indicou que não participará de atos de campanha. O PRB de Alencar coligou-se com o PC do B e indicou o candidato a vice-prefeito - Cláudio Sampaio - na chapa encabeçada pela candidata Jô Moraes (PC do B).Lacerda tem como candidato a vice o deputado estadual Roberto Carvalho (PT), numa aliança apoiada, informalmente, pelo PSDB do governador Aécio Neves. "Há uma recomendação tácita da Presidência da República de não adotarmos candidaturas onde haja mais de um candidato de partidos da base. Havendo mais de um candidato, mais de um partido da base - a recomendação é esta -, nós não devemos entrar. Não devemos entrar porque são partidos que dão sustentação e apoio ao governo no Congresso Nacional. São muitos esses partidos. De modo que temos de examinar cada caso", disse ontem o vice-presidente, em Montes Claros (MG), onde participou da abertura da Exposição Agropecuária (Expomontes).Além do PC do B, outras duas legendas que integram a base de apoio à gestão Lula lançaram candidatos a prefeito da capital mineira: o PMDB, com Leonardo Quintão, e o PDT, Sérgio Miranda. O presidente alinhou-se à candidatura de Lacerda atendendo a apelos de Aécio e do prefeito da capital, Fernando Pimentel (PT), articuladores da aliança.A presença formal dos tucanos na coalizão foi vetada pelo diretório nacional petista. Lula criticou, publicamente, a decisão da cúpula do PT. Na segunda-feira, em visita a Itajubá (MG), ao lado do governador de Minas Gerais e de Pimentel, disse que participaria pouco das eleições municipais, mas afirmou: "Belo Horizonte é uma das cidades que eu quero ir, até porque acho que é importante a continuidade do projeto (de parceria entre o governo do Estado e a prefeitura)." Jô Moraes foi a primeira a registrar a candidatura a prefeito da capital no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ela compareceu hoje ao TRE acompanhada de candidatos a vereador do PC do B e do PRB. Jô Moraes prevê gastos de até R$ 7 milhões na campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.