Alencar diz que FHC aumentou carga tributária e endividamento

O vice-presidente e ministro da Defesa, José Alencar, respondeu, nesta quarta-feira, às críticas feitas pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao governo Lula. Embora afirmasse que não chegou a ler as matérias sobre as críticas de FHC publicadas na terça pela imprensa, Alencar lembrou que, durante o governo anterior, houve um grande aumento da caga tributária e do endividamento público, e uma privatização que teria dado aos cofres públicos cerca de US$ 90 bilhões. Apesar disso, observou, cerca de R$ 750 bilhões foram utilizados apenas para pagar os juros da dívida porque, durante aquele período, as taxas oferecidas pelo governo estavam muito acima dos valores oferecidos pelo mercado internacional. Com isso, o vice-presidente insinuou que todos os recursos arrecadados durante o governo anterior com essas medidas não foram utilizados para assegurar distribuição de renda ou investimentos em infra-estrutura. "A situação é grave. Não podemos fazer política eleitoral, e temos que fazer uma política de desenvolvimento", acentuou Alencar, ao participar, como ministro da Defesa, do seminário "Brasil-Argentina por uma Agenda de Cooperação em Defesa, Segurança e Paz", em Brasília.Sobre o acidente ocorrido na segunda-feira durante um treinamento naval entre Brasil e Argentina, na costa do Rio de Janeiro, em que saíram feridos marinheiros brasileiros, ele lamentou o fato e o caracterizou como um acidente, que não terá nenhum reflexo no relacionamento entre os dois países. Segundo ele, é para esses momentos que serve a integração entre os dois países. "Foi um acidente. Temos que lamentar, mas, de qualquer maneira, foi aberto um inquérito", disse Alencar, sem especificar se a investigação ficará por conta da Marinha, do Ministério da Defesa ou de uma equipe binacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.