Alencar diz estar habituado a enfrentar dificuldades

Vice-presidente, que luta há 11 anos contra um câncer, diz em entrevista que só tem medo da desonra

da Redação

01 de março de 2009 | 23h20

O vice-presidente da República, José Alencar, que se recupera de uma cirurgia, foi a uma missa na manhã deste domingo, 1, em São Paulo, acompanhado da esposa, dona Marisa Gomes da Silva. Ele assistiu a uma missa do padre Marcelo Rossi, no Santuário do Terço Bizantino, na zona sul da capital paulista.   José Alencar Gomes da Silva, há 11 anos luta contra um câncer, deu uma entrevista para o Fantástico, da TV Globo,  em que demonstrou estar preparado para a possibilidade da morte. "Eu não tenho medo da morte, tenho medo da desonra. A morte é um fenômeno natural", afirmou o vice-presidente. Resignado, ele disse que quer deixar uma herança da qual os seus herdeiros possam se orgulhar.   Depois de enfrentar a nona cirurgia, a mais longa de todas a que foi submetido, com quase 18 horas de duração, José Alencar mostrou disposição para a luta contra a doença. Com 77 anos de idade, o vice-presidente teve uma recuperação surpreendente. "Eu não estou habituado a coisas fáceis, eu sempre me habituei com problemas difíceis", salientou. "E nunca deixei de enfrentá-los."   Mesmo contra a vontade, ele admitiu certo cansaço, consequência do tratamento de quimioterapia a que se submeteu. Católico fervoroso, garante não ter nada a pedir a Deus. "Deus não deve. E eu não quero que dê nem um dia de vida a mais de que eu não possa me orgulhar", ensinou. "Se Deus achar que a minha vida possa ser útil e der mais algum dia de vida, eu naturalmente reconhecido e vou procurar fazer com que esse dia seja útil."

Tudo o que sabemos sobre:
José Alencarsaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.