Alencar deve receber alta nos próximos dias, diz médico

O presidente em exercício, José Alencar, deve receber alta do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, nos próximos dias, informou hoje o cardiologista Roberto Kalil Filho. De acordo com o oncologista Paulo Hoff, Alencar, que foi internado por causa de uma obstrução intestinal no último dia 25 de outubro, deve retomar o tratamento contra o câncer assim que Kalil autorizar.

ANNE WARTH, Agência Estado

12 de novembro de 2010 | 19h38

"Ele está bem, conversando normalmente e superestável do ponto de vista cardíaco. Hoje ele trabalhou normalmente da UTI mesmo e o vi despachando e assinando documentos com assessores e tudo", afirmou Kalil. "Se Deus quiser, na próxima semana ele deverá ter alta", disse. Segundo o médico, o enfarte que Alencar sofreu ontem está relacionado a efeitos colaterais ocasionados pela quimioterapia e por uma anemia, entre outros fatores. "Enfarte é sempre um quadro delicado, mas ele não teve instabilidade na parte cardíaca, a pressão se manteve boa, ele está estável e não teve maiores consequências. É um agravamento momentâneo."

Hoff disse que Alencar respondeu bem ao tratamento para combater a obstrução intestinal, causada pelo crescimento de um tumor. "Como houve excelente resposta ao tratamento e redução dos tumores, o quadro havia normalizado e a nossa expectativa era que o vice-presidente estivesse tendo alta hoje. Infelizmente ele teve essa complicação cardiológica agora", afirmou.

O oncologista informou que a quimioterapia será retomada assim que Kalil autorizar. "Vamos reiniciar o tratamento a partir da avaliação de Kalil. A prioridade passou a ser o coração dele", disse. "Não estamos trabalhando com a possibilidade de interromper o tratamento. Havendo concordância do Dr. Kalil, devemos reiniciar o tratamento ainda hoje. Ele tem um tumor agressivo e deve retomar o tratamento, que é fundamental para que ele continue com o quadro sob controle."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.