Alencar chefia reunião no hospital

Ainda em tratamento, presidente em exercício reúne-se com Serra, Kassab e ministro para discutir enchentes

Fausto Macedo e Paulo Darcie, O Estadao de S.Paulo

16 de janeiro de 2008 | 00h00

"Lépido e faceiro", segundo impressão do ministro Márcio Fortes (Cidades), "muito afável, ótimo e bem disposto", na definição do governador José Serra (PSDB), o presidente da República em exercício, José Alencar, cumpriu ontem seu segundo dia no cargo. Em uma sala do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, ele reuniu Serra, o ministro e o prefeito Gilberto Kassab (DEM) para discutir medidas de combate às enchentes que assolam o Estado. Depois recebeu por 20 minutos Lurian Cordeiro Lula da Silva, de 33 anos, filha do presidente Lula.Alencar enfrenta um câncer na região abdominal que já o levou seis vezes à mesa de cirurgia. Sábado ele se internou com febre alta. Às 12h24 de ontem, boletim médico de 11 linhas informou que o presidente continuava "recebendo tratamento antibiótico e de medicamentos de suporte clínico".A nota, subscrita pelo diretor-técnico do Sírio, Antônio Carlos de Lira, e pelo diretor-clínico, Riad Younes, destaca que o presidente se "encontra clinicamente melhor e não apresentou febre nas últimas 24 horas". A equipe médica que cuida de Alencar, coordenada por Paulo Hoff e Artur Katz, decidiu mantê-lo internado para "tratamento de alterações hematológicas que constituem um efeito colateral habitual da quimioterapia". Não há previsão de alta.O período de Alencar como presidente do Brasil termina hoje, com o retorno de Lula da viagem a Guatemala e Cuba.O bom humor e a disposição de Alencar impressionaram as visitas. "Achei ele ótimo, muito bem", declarou Serra. "Eu até disse a ele: olha, você está melhor do que eu, porque eu estou gripado. Ele está mais bem disposto, achei-o muito bem, aparência excelente."Indagado se o vice-presidente pode passar por mais uma operação, Serra disse: "Ele não falou de nova cirurgia. Apesar de ter sido ministro da Saúde e de ter fama de hipocondríaco, não entendo de saúde, eu não perguntei. O médico disse que (Alencar) tem que ficar pelo menos mais uns dois dias porque é controle. A quimioterapia envolve extremo cuidado com possibilidades de infecção. Trata-se de uma ação preventiva, não há nada que tenha me parecido mais crítico ou mais urgente.""Estão aqui me segurando até agora, por mim eu saía já", queixou-se Alencar ao senador Romeu Tuma (DEM), que o visitou durante uma hora. "Ele está 100% bem", acredita o senador. "Acho que é problema de resistência que caiu, mas está subindo outra vez. É mais recuperação de transfusão que tomou."Antes do encontro com o governador, o ministro, o prefeito e Roberto Guimarães, secretário Nacional de Defesa Civil, Alencar reuniu-se com o subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Beto Vasconcelos. Assinou dez atos normativos, entre decretos, projetos de lei e portarias. "Atos de rotina", resumiu Vasconcelos.CONTAO presidente em exercício almoçou no restaurante do segundo andar do hospital, acompanhado de Vasconcelos e de Adriano Silva, seu assessor. Pediu linguado grelhado, arroz e purê de batatas. A conta total ficou em R$ 97. Alencar pôs o dinheiro na mesa, mas o assessor disse que ele não precisava se preocupar. "Então tá bom", disse o vice-presidente, rindo, enquanto enfiava rapidamente as notas de volta no bolso. Mas, afinal, foi Alencar mesmo quem liquidou a fatura, incluindo gorjeta.Depois da refeição, o presidente em exercício retornou ao escritório montado no 11º andar do hospital para deliberar sobre as enchentes. Ele ficou chocado com a calamidade que levou ao desamparo milhares de pessoas em várias regiões do Estado. "Todos têm que estar presentes", disse ele, ao convocar o ministro das Cidades. Segundo Márcio Fortes, serão acelerados projetos de áreas de risco em São Paulo atingidas por enchentes ou desabamentos em períodos de chuva.Sobre o possível repasse de verbas federais, Serra anotou: "Tendo necessidade, deve sair. O ministro (Fortes) pode informar. Tem que fazer levantamento, não dá para chegar e dizer: é tanto. Tem que ver o que tem que ser feito." FRASESJosé Serra (PSDB)Governador de São Paulo"Eu até disse a ele: olha, você está melhor do que eu, porque eu estou gripado. Ele está mais bem disposto, achei-o muito bem, aparência excelente""Ele não falou de nova cirurgia. Apesar de ter sido ministro da Saúde e de ter fama de hipocondríaco, não entendo de saúde, eu não perguntei. O médico disse que (Alencar) tem que ficar pelo menos mais uns dois dias porque é controle.A quimioterapia envolve extremo cuidado com possibilidades de infecção. Trata-se de uma ação preventiva, não há nada que tenha me parecido mais crítico ou mais urgente"Romeu Tuma (DEM-SP)Senador"Ele está 100% bem" José AlencarPresidente em exercício"Estão aqui me segurando até agora, por mim eu saía já"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.