Alencar: caso de Dilma 'é absolutamente fácil de cura'

O presidente da República em exercício, José Alencar, disse hoje que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, está bem e que o que ela sentiu foi um efeito colateral do tratamento que está fazendo para o controle de um câncer linfático. "Conheço bem esse tratamento. Passo por isso", disse Alencar, se referindo aos tratamentos semelhantes a que já se submeteu. "Há vários efeitos. Mas está sob controle e o caso dela é absolutamente fácil de cura completa. Ela está bem", completou ele, antes de participar da abertura do 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, em Brasília.

GERUSA MARQUES, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 21h03

Boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês hoje, em São Paulo, informa que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, está com uma inflamação no músculo (miopatia) dos membros inferiores provocada pelo tratamento de quimioterapia. A ministra, que se trata de um câncer linfático, está tomando analgésicos e seu estado de saúde é estável, porém não há previsão de alta.

Mais conteúdo sobre:
DilmainternaçãoAlencar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.