Aleluia diz que oposição pode obstruir votações

O líder do PFL na Câmara, José Carlos Aleluia (BA) disse nesta manhã que a oposição não descarta a possibilidade de obstruir as votações previstas para a próxima semana, em reação às denúncias envolvendo os presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles, e do Banco do Brasíl, Cássio Casseb. "O ambiente está muito ruim para o governo", disse Aleluia, considerando que essas denúncias podem refletir nas votações durante o esforço concentrado, nos próximos dias 10, 11 e 12. Aleluia disse que o partido quer explicações de Meirelles, mas ponderou que não vê problemas "incontornáveis" para o presidente do BC. Já no caso de Casseb, o líder do PFL disse que não adianta mais explicar. Ele lembrou que o PFL entrou com cinco notícias-crimes contra Casseb, no Ministério Público do Distrito Federal e contra o PT, na Justiça Eleitoral, por causa da compra de 70 mil ingressos do show da dupla Zezé di Carmargo e Luciano, feita pelo Banco do Brasil, para angariar fundos para a aquisição da sede do partido. Apoio da Petrobras a campanha política O líder do PFL, José Carlos Aleluia, disse mostrará hoje à tarde uma camiseta para provar que a Petrobras está usando dinheiro público para financiar candidaturas públicas. "A Petrobras está envolvida com a campanha eleitoral", disse Aleluia. Segundo ele, além da marca Petrobrás a camiseta traz estampado o nome Martiniano, candidato do PT à Prefeitura de Valença, na Bahia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.