Aleluia deve retomar liderança do PFL na Câmara

A praticamente certa recondução do deputado José Carlos Aleluia (BA) ao posto de líder do PFL na Câmara deverá fortalecer a ala do partido que faz oposição ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva. A eleição para a escolha do líder será feita nesta terça-feira. Concorre com Aleluia o deputado Pauderney Avelino (AM), que tem o apoio da corrente que age sob o comando do senador Antonio Carlos Magalhães (BA), hoje um aliado informal do Palácio do Planalto."Vou manter o papel de um dos líderes da oposição. Nosso partido, por decisão do diretório nacional, é oposição ao governo. Vamos continuar assim, até porque ninguém foi à Executiva defender o apoio ao governo", diz Aleluia, numa estocada aos seguidores de ACM. "Tivemos de entrar na disputa para oxigenar o partido", afirma Avelino. Ele disse que o grupo do senador Antonio Carlos efetivamente o apoia. Mas jura que, se vencer, vai orientar o partido a permanecer na oposição. Avelino diz ainda que, se eleito, quer tornar o partido uma unidade e não deixá-lo dividido, como hoje.A disputa pelo posto de líder do PFL expôs mais uma vez as divergências internas do partido, sendo que uma ala segue o presidente da legenda, senador Jorge Bornhausen (SC), e outra o senador Antonio Carlos. No momento, o favoritismo é da turma de Bornhausen, de oposição aguerrida. ACM jogou pesado para tirar Aleluia da liderança. Fez uma série de manobras partidárias, tentou montar um quadro que devolvesse a ele a força que já teve no passado, mas nada conseguiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.