Aldo, Renan e líderes debatem agenda

Os presidentes da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), estão reunidos com os líderes partidários nas duas Casas do Congresso para discutir a agenda política e a crise com o Judiciário em função da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de manter a verticalização nas coligações partidárias."Quero encontrar uma maneira de fazer com que a crise política e a reta final das CPIs não paralisem a agenda congressual", afirmou o presidente do Senado, ao lembrar que existem seis medidas provisórias trancando a pauta de votações daquela Casa do Legislativo. Só depois de votar as MPs o Senado poderá tratar da pauta que Renan está discutindo com os líderes.Um dos itens que entrarão como prioridade é a MP das Domésticas, que permite abater do Imposto de Renda parte da contribuição previdenciária paga pelo empregador por trabalhador doméstico.No governo Fernando Henrique Cardoso, Renan Calheiros propôs a intensificação da formalização (assinatura de carteira) do emprego doméstico, mas na época a proposta não prosperou em virtude de resistências da equipe econômica de então.Mas agora, líderes de vários partidos, tanto da base quanto da oposição, já estão questionando as limitações impostas pela equipe econômica do governo atual, que só permitirá o desconto para um trabalhador doméstico, e somente até o limite de um salário mínimo.O que mais irrita os líderes governistas, no entanto, é a demora na votação do Orçamento da União deste ano. "Essa demora passou da conta, extrapolou todos os limites", desabafou o líder do PMDB, senador Ney Suassuna (PB), convencido de que o governo se preparou para enfrentar este início do ano sem orçamento aprovado inflando a rubrica restos a pagar para bancar o custeio da máquina até que o orçamento seja aprovado.

Agencia Estado,

07 de março de 2006 | 13h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.