Aldo recebe abaixo-assinado pelo voto aberto no Congresso

Deputados de diversos partidos que estão coordenando a defesa do voto aberto em todas as votações do Congresso entregaram, nesta terça-feira, ao presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), um abaixo-assinado a favor do fim do voto secreto. As assinaturas foram juntadas em cinco lençóis de casal que traziam a inscrição "voto aberto no Congresso Nacional - quero saber como meu representante vota".O grupo de parlamentares está recolhendo, também, assinaturas para formar a Frente Parlamentar pelo Fim do Voto Secreto. O abaixo-assinado entregue a Aldo está acompanhado de um manifesto defendendo o direito do povo brasileiro de saber como seus parlamentares votam. "Esse é um direito essencial do eleitor. A soberania política é da população, que escolhe seus representantes. Fazer do seu voto um ato de consciência só é possível com julgamento sensato dos seus representantes. A democracia resistirá, mas é preciso ética e transparência no parlamento", afirma o manifesto.Os manifestantes pedem a votação da proposta de emenda constitucional que acaba com o voto secreto que está à espera de votação pelo plenário da Câmara há cerca de um ano. O movimento tomou fôlego depois das várias absolvições, pelo plenário da Casa, de deputados que respondiam a processo de cassação sob acusação de envolvimento no esquema do mensalão. "Para encobrir o mensalão, voto secreto é traição", gritam manifestantes, que estão concentrados no salão Verde da Câmara.Deputados de diversos partidos - PSOL, PSB, PPS, PSDB, PMDB, PT, PTB e PFL - apóiam o pleito. "Cada vez que alguém dança aqui, está dançando no túmulo da democracia", afirmou o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), durante a manifestação. Ele se referia à dança da deputada Ângela Guadagnin, no plenário da Câmara, na madrugada da última quinta-feira, em comemoração da absolvição do deputado João Magno (PT-MG).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.