Aldo Rebelo diz que espinha dorsal da reforma não mudou

O líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), afirmou hoje que, apesar da proposta em estudo de manutenção das aposentadorias integrais para os servidores públicos, a espinha dorsal da proposta original do governo está mantida. Segundo ele, o objetivo da reforma da previdência não é universalizar a previdência social, nem acabar com o regime dos servidores públicos, mas torná-lo sustentável, garantindo que os futuros servidores possam receber os benefícios. "O governo mantém a essência da proposta. As concessões serão no sentido de aprová-la, não de desfigurá-la", disse. Em resposta às declarações desta manhã do presidente da comissão especial de reforma da Previdência, Roberto Brant (PFL-MG), de que a reforma morreu com o recuo do governo, Rebelo disse: ?A reforma sequer nasceu. Vai nascer quando for aprovada", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.