Aldo Fornazieri

Professor da Escola de Sociologia e Política de São Paulo

O Estado de S. Paulo

16 de março de 2015 | 23h54

O 15 de março é revelador da falência do sistema político e partidário brasileiro. Dirigido contra a presidente Dilma, contra o PT e contra a corrupção, além de outras bandeiras, ele foi convocado promovido à revelia dos partidos políticos e das instituições da sociedade civil. Políticos da oposição que compareceram nos protestos foram vaiados e impedidos de falar. Isto indica o quanto o governo e a oposição não são capazes de oferecer alternativas à sociedade. Há um esgotamento do sistema político brasileiro sem que surjam alternativas e lideranças novas. Há dois riscos em tudo isto: 1)uma radicalização do processo sem a possibilidade de saídas negociadas; 2) uma lenta legitimação de grupos que propõem saídas antidemocráticas. Ademais, sem organização e sem direção, essa enorme energia que se viu nas ruas poderá se esvair sem conquistas concretas. 

Tudo o que sabemos sobre:
protestosDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.