Aldo defende punição de parlamentares sanguessugas

O presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo (PC do B-SP), afirmou nesta quinta-feira que não há "desculpa" para o Congresso Nacional não punir os eventuais culpados de envolvimento com a máfia dos sanguessugas, quadrilha que subornava parlamentares em troca de emendas ao Orçamento para compra de ambulâncias. Segundo ele, o esvaziamento do Legislativo por causa da campanha eleitoral não pode impedir que o caso seja investigado, e os envolvidos encaminhados à Mesa Diretora e ao Conselho de Ética, para serem julgados. O presidente da Câmara, porém, não especificou se avaliava que o processo poderia ser encerrado em 2006 ou se entraria pela próxima legislatura, com os novos congressistas."Creio que não haja nenhuma desculpa de eleição para que o Congresso não cumpra o seu dever", afirmou Aldo, pouco antes de participar da cerimônia pelo aniversário de 109 anos da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio de Janeiro. "O Congresso deve procurar cumprir o seu dever e participar também das eleições. Acho que o Congresso tem que cumprir a sua responsabilidade, independente do período eleitoral".O Legislativo federal está em recesso, mas a perspectiva é que, retomados os trabalhos, o Senado e a Câmara entrem em uma espécie de recesso branco, já que a maioria dos parlamentares é candidata à reeleição e vai estar em campanha em seus Estados, à procura de votos.Aldo não quis comentar a declaração do presidente da CPI das Sanguessugas, Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), que ontem disse que, até que seja feito o relatório final da CPI, todos os 513 deputados e 81 senadores estariam sob suspeita no caso das sanguessugas. "O que o Congresso deve fazer, e acho que aí o deputado Biscaia tem uma grande responsabilidade como presidente da CPI, é realizar as investigações. E quando as investigações forem concluídas, as medidas que devam ser adotadas em relação aos responsáveis apontados pela investigação devem ser rigorosas, e é isso que o Congresso deve fazer", disse Aldo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.