Alcoolismo causa mortes violentas entre índios

O alcoolismo está provocando uma série de mortes violentas entre os índios habitantes da região da Grande Dourados, no sul de Mato Grosso do Sul. Hoje, por volta de 7 horas, o índio guarani-kaiowás Martins Fontes, 26 anos, visivelmente alcoolizado tentou atravessar a rodovia MS-156, próximo de sua aldeia situada em Itaporã, e morreu atropelado por um caminhão carregado de frangos, dirigido por Adalgiso Severiano, de 56 anos. A vítima teve a cabeça esmagada pelas rodas do veículo e o motorista disse que não pôde evitar o choque, "o índio apareceu de repente", comentou. Levantamento feito pelo Departamento Estadual de Trânsito revela que este ano, dez pessoas foram atropeladas e mortas naquela rodovia, nas proximidades da aldeia. Na Aldeia Indígena de Dourados vivem mais de 7 mil índios terenas e guaranis-kaiowás. Ontem, o índio R.D.S. de 16 anos, matou a socos e pontapés outro índio, Antônio Arce Martins, de 51 anos. Conforme apuração feita pela Delegacia de Polícia Civil de Dourados, vítima e homicida estavam bebendo cachaça desde sábado passado. As informações são acrescidas de que o alcoolismo é a principal causa de brigas com lesões corporais na aldeia, onde várias queixas de que o consumo de cachaça misturada com maconha está se tornando comum ali.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.