Alckmistas agora miram Gregori

Presidente do PSDB paulistano promete representação contra ex-ministro, que defendeu reeleição de Kassab

Ana Paula Scinocca e Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

25 de setembro de 2008 | 00h00

Depois de defender punição para o secretário municipal de Governo, Clóvis Carvalho, o presidente do PSDB paulistano, José Henrique Reis Lobo, avisou ontem que vai entrar com uma representação contra o ex-ministro José Gregori na Comissão de Ética do partido. Gregori, hoje presidente da Comissão Municipal de Direitos Humanos, apareceu horário do DEM na TV falando em defesa da reeleição do prefeito Gilberto Kassab.Tanto Carvalho quanto Gregori são tucanos e ex-ministros do governo Fernando Henrique Cardoso. Embora pertencentes ao PSDB, têm apoiado o prefeito em detrimento do candidato tucano à prefeitura, Geraldo Alckmin. Carvalho também está na "lista negra" do tucano em razão de ter dado entrevista em defesa de Kassab, na qual chamou Alckmin de "oportunista".Em nota, Lobo foi duro e avisou Gregori. "O próximo a ir para a Comissão de Ética é o também ex-ministro José Gregori", informou, ressaltando ter pelo ex-ministro da Justiça "grande estima"."Para eu continuar gostando dele, o Gregori não precisa estar no PSDB. Ele tem todo o direito de ir para a televisão pregar o voto em Gilberto Kassab. Mas não estando filiado a um partido que tem outro candidato", disse o presidente municipal do PSDB.Ao ser informado da ameaça de punição feita por Lobo, Gregori disse ao Estado ter "imensa estima" pelo presidente do partido em São Paulo, mas receitou mudança de foco ao dirigente do PSDB. "Não devemos perder nem um segundo com isso. Nossa obrigação é derrotar o PT", disse. E prosseguiu: "Se quiserem perder tempo comigo agora, só posso lamentar."Gregori também explicou que não fez campanha para Kassab. "Me pediram um testemunho e eu dei. Pertenci a um governo basicamente tucano, que desenvolveu um programa tucano. Não entrei na campanha e não quero desqualificar ou polemizar com ninguém", disse.Lobo também não poupou o ex-ministro Caio de Carvalho, presidente da SPTuris, para quem o comando de campanha de Alckmin "perdeu o juízo". Lobo retrucou: "Considero preferível perder o juízo a perder a honra. Tudo tem limite. Que cada um responda por seus atos." VEREADORESOntem, a bancada de vereadores do PSDB também rebateu a acusação feita na véspera por Alckmin. O candidato disse que Kassab cooptou os vereadores do PSDB. O líder da bancada, Gilberto Natalini, atribuiu a acusação do candidato de seu partido ao "destempero emocional". Ele lembrou que a bancada ajudou a escrever o programa do atual governo (PSDB/DEM) e rejeitou "qualquer acusação que atribua responsabilidades" sobre a situação criada (a divisão dos partidos aliados ). "Creditamos as insinuações contra vereadores do PSDB ao destempero emocional daqueles que o fazem."Em campanha no Ipiranga, Alckmin falou sobre a manifestação dos vereadores. "Todo dia é uma provocação diferente e o único objetivo é prejudicar o PSDB."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.