Alckmistas adiam atos de apoio a ex-governador

Decisão foi tomada após almoço entre tucano e Kassab

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

26 de janeiro de 2008 | 00h00

As manifestações de apoio ao ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) programadas para a próxima semana por articuladores de sua candidatura à Prefeitura de São Paulo foram adiadas. A decisão foi tomada depois do almoço entre Alckmin e o prefeito Gilberto Kassab (DEM) na quarta-feira, em que foi acordada uma trégua entre os dois partidos. Ambos disputam nos bastidores o posto de candidato de uma aliança entre PSDB e DEM na corrida pela prefeitura neste ano.Dois atos estavam programados para os dias 28 e 29 para pedir a candidatura própria do PSDB na capital e pressionar os líderes do partido que defendem o apoio a Kassab. O primeiro estava sendo organizado por membros dos diretórios zonais do PSDB. O segundo lançaria um manifesto a ser distribuído por toda a cidade."Toda mobilização foi adiada para depois do carnaval, e ainda sem data definida", contou o deputado Sílvio Torres (PSDB-SP), um dos articuladores do apoio a Alckmin. Já Kassab se comprometeu a amenizar o tom de uma nota que vereadores aliados estavam elaborando e foi divulgada ontem.Nem Alckmin nem Kassab falaram sobre o acordo de armistício anteontem, quando apareceram juntos em um evento na capital paulista. Os dois insistiram em que o assunto eleições havia sido tratado de forma ampla no almoço de quarta-feira.Os aliados do tucano negam que esses atos tivessem por trás a articulação do grupo do ex-governador. Mas contaram com apoiadores da candidatura de Alckmin. O objetivo dos alckmistas era engrossar o discurso já usado pelo tucano de que a candidatura própria no PSDB é um "desejo da sociedade" e não um projeto pessoal.SEMANA DURAA trégua veio numa semana em que a temperatura do embate entre Alckmin e Kassab nos bastidores subiu a níveis altíssimos. A cúpula do DEM desembarcou em peso em São Paulo para pressionar o PSDB e demonstrar unidade interna.O governador tucano José Serra, um dos defensores de que o PSDB deve abrir mão de candidatura própria e apoiar Kassab, apareceu num jantar de confraternização do DEM. Do outro lado, deputados tucanos se reuniram em um jantar em São Paulo para articular a postulação de Alckmin.Serra também entrou em cena para acalmar os ânimos dos dois lados, como revelou ontem o Estado. O governador vai colocar Alckmin e Kassab em seu palanque nas próximas semanas para neutralizar as acusações de que estaria trabalhando contra o colega de partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.