Tiago Queiroz
Tiago Queiroz

Alckmin vota nas prévias do PSDB e participa de agenda conjunta com Doria no Jaraguá

Governador de SP mantém uma postura neutra nessa disputa, que ocorre em meio a um cenário de polarização entre Doria, Aníbal, Pesaro e D'Ávila

Adriana Ferraz e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

18 Março 2018 | 11h20

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, votou antes das 10h deste domingo, 18, no diretório do Butantã, nas prévias que definirão o candidato do PSDB ao governo paulista. O governador, que é pré-candidato à presidência da República, mantém uma postura neutra nessa disputa, que ocorre em meio a um cenário de polarização entre o prefeito João Doria e outros três pré-candidatos - José Aníbal, Floriano Pesaro e Luiz Felipe D'Ávila - que acusam a direção do partido de favorecer o prefeito na disputa. O pleito deve ser divulgado no fim da tarde, por volta das 18h.

+++ Prévia tucana não tem controle dos votantes

Lu Alckmin, esposa do governador, também votou no diretório do Butantã. Após votar, Alckmin seguiu para a inauguração de um conjunto habitacional no bairro do Jaraguá, zona norte da cidade. João Doria e o vice-prefeito Bruno Covas o aguardaram no local por cerca de 40 minutos. Doria e Bruno Covas estão acompanhados de deputados federais, secretários estaduais e municipais, além de vereadores, em clima de vitória nas prévias de hoje. Ao chegar, Alckmin cumprimentou formalmente Doria, que já estava no palco do evento.    

Luiz Felipe. Um dos concorrentes nas prévias, Luiz Felipe D'Ávila votou às 10h no diretório zonal de Pinheiros. Ele votou sem claque e estava acompanhado da esposa. "Não arrisco um resultado porque nunca houve prévias estaduais antes", disse ele ao Broadcast Político. "Espero que todos acordem mais calmos hoje", emendou. 

Agenda conjunta. No dia em que o PSDB de São Paulo escolhe seu candidato à disputa ao governo do Estado, o governador Geraldo Alckmin, presidente nacional da sigla, marcou agenda conjunta com o prefeito da capital, João Doria, um dos concorrentes, e seu vice, Bruno Covas, que vai assumir o cargo se Doria for vencedor neste domingo, 18.

Os tucanos entregaram um conjunto habitacional no bairro do Jaraguá, zona norte da cidade. Alckmin chegou com quase 40 minutos de atraso. Diferentemente de 2016, quando apoiou Doria nas prévias municipais, o governador desta vez não declarou apoio formal a nenhum dos pré-candidatos, optando pela neutralidade.

Durante o evento, os discursos se alternaram entre declarações de apoio à campanha presidencial de Alckmin e de apoio a Doria governador e Bruno Covas, prefeito. Tesoureiro do PSDB e um dos aliados mais próximos do governador, o deputado federal Silvio Torres afirmou que Doria será imprescindível no projeto nacional de Alckmin.

O prefeito afirmou que, se escolhido hoje candidato ao governo paulista, irá também se dedicar a eleger Alckmin presidente. "Juntos, na cidade, no Estado, não apenas tucanos, os 43 milhões de brasileiros de São Paulo vão votar Geraldo Alckmin para a presidência da República."

Trabalhador. Na sua vez de discursar, o governador se limitou a comentar o trabalho de sua gestão na área da habitação e do transporte público. Não citou as prévias nem as eleições deste ano, seja para o Estado ou para a Presidência. Sobre Doria, apenas disse que é trabalhador: "Acorda cedo e dorme tarde."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.