Alckmin volta a tratar pacientes com acupuntura

Mas, na semana que vem, tucano derrotado em SP vai dar ?um giro por cidades? que têm candidatos do PSDB

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

11 de outubro de 2008 | 00h00

"Lá para 2010." Essa foi a resposta que o candidato derrotado do PSDB em São Paulo, Geraldo Alckmin, deu ontem ao ser questionado quando voltaria a falar sobre política. Desde domingo, quando ficou confirmado que ele não iria para o segundo turno, o tucano evita comentar sobre a sucessão paulistana. A declaração foi feita após o ex-governador encerrar o atendimento de acupuntura a pacientes do SUS em um ambulatório da Escola Paulista de Medicina. Médico anestesista de formação - e há um ano e meio especializado na tradicional técnica chinesa -, Alckmin retomou ontem a rotina na unidade, interrompida em junho por causa da campanha eleitoral. A partir da próxima semana, ele voltará também a dar aulas em universidades - uma em Santos e outra em São Caetano do Sul.O único assunto relacionado à eleição sobre o qual Alckmin concordou em falar dizia respeito a candidaturas do PSDB no segundo turno. Acompanhado do presidente do partido no Estado de São Paulo, deputado Mendes Thame, ele visitará cidades paulistas para pedir voto a tucanos. "A partir da semana que vem vamos dar um giro", disse. Entre os municípios que Alckmin visitará estão Bauru, São Bernardo do Campo e Guarulhos. Ele também deve estender o "tour" eleitoral a algumas capitais, como Cuiabá (MT), onde Wilson Santos (PSDB) disputa a reeleição contra Mauro Mendes (PR), apoiado pelo governador Blairo Maggi e pelo presidente Luiz Inácio da Silva.?APOIO É PÚBLICO?Agora, se esse "giro" terá como parada a campanha do prefeito Gilberto Kassab (DEM), Alckmin desconversou. "Meu apoio já é público. O partido decidiu apoiar o Kassab. Vou seguir a orientação do partido." Diante da insistência dos repórteres para saber se isso se traduzirá em participação no palanque do prefeito, ele adiantou: "Não tem palanque fisicamente."Anteontem, três deputados do PSDB aliados de Alckmin faltaram a uma visita a Kassab organizada por parlamentares tucanos. No início desta semana, o partido anunciou oficialmente apoio ao prefeito, adversário do ex-governador no primeiro turno. O deputado Antonio Carlos Pannunzio justificou que os alckmistas não foram porque estavam viajando. Alckmin voltou a dizer que foi uma honra disputar a eleição em São Paulo. "Suamos a camisa, a militância esteve unida. É sempre honroso participar do processo eleitoral." No ambulatório, o retorno do tucano foi elogiado pelas pacientes. "Ele tem mãos maravilhosas", disse Maria Augusta Córdoba. "Para a acupuntura, claro", explicou-se entre risos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.