Alckmin volta a evitar defesa do mínimo de R$ 600

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), evitou novamente hoje defender o reajuste do salário mínimo para R$ 600, como havia prometido o candidato derrotado do partido à Presidência da República, o ex-governador José Serra, durante a campanha no ano passado. Alckmin limitou-se a afirmar que São Paulo já aprovou R$ 600 para a primeira faixa do salário mínimo estadual e que defende "o maior valor possível" para o mínimo federal.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 17h04

"Nós torcemos pelo piso mais alto possível, até porque para a população de menor renda a inflação foi mais alta", disse Alckmin, após lançamento do guia "Cidade-Base: o potencial do Estado de São Paulo para sediar os Centros de Treinamento das seleções para a Copa do Mundo Fifa Brasil 2014", no Museu do Futebol, na capital paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
salário mínimoAlckminSerraSPPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.