Alckmin vai usar diretórios zonais para pressionar PSDB

A tropa de choque do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) vai usar o apoio dos diretórios zonais e de membros da Executiva Nacional do partido para pressionar o presidente do PSDB municipal, José Henrique Lobo, a oficializar a candidatura tucana a prefeito de São Paulo nos próximos dias. Os aliados de Alckmin já separaram as cartas que colocarão na mesa de negociações com Lobo - homem próximo do governador José Serra, que tem sido acusado de protelar a decisão. ?Não sou homem de receber ultimato. Vamos seguir o calendário?, advertiu Lobo.Ontem, ele mesmo esteve reunido com Alckmin para confirmar 5 de maio como data para que o Diretório Municipal feche acordo a fim de que seu nome seja levado à convenção do partido, em junho, como candidato. ?A data de 5 de maio foi proposta minha, não fui pressionado por ele?, disse Lobo.Mesmo assim, os ''alckmistas'' querem que o diretório entre imediatamente como apoiador da candidatura própria para pôr um ponto final nas especulações de uma possível desistência do ex-governador. Para isso, uma das cartas apresentadas será o ato de apoio a Alckmin no mês passado, que teve a presença de 47 dos 52 diretórios zonais do PSDB.Outra cartada será o apoio de líderes do partido, como o presidente do PSDB, Sérgio Guerra - que não pode se manifestar publicamente, por conta do posto que ocupa, mas deve trabalhar nos bastidores por Alckmin -, e do governador de Minas, Aécio Neves, que ligou para se solidarizar com o ex-governador. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.