Alckmin troca CPI da Petrobras por 'boa investigação'

O Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse neste sábado, 22, durante inauguração de uma estação esgoto em Campos do Jordão (SP), que não há necessidade de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras se for realizada uma boa investigação a respeito da compra da refinaria de Pasadena, no Estado norte-americano do Texas.

ELIZABETH LOPES E PEDRO VENCESLAU, Agência Estado

22 de março de 2014 | 11h53

O governador é o terceiro líder de seu partido a se posicionar contrário à CPI, defendida pelo senador e provável candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB).

"Se houver uma boa investigação não precisa de CPI", disse Alckmin. "Sou favorável que se faça uma investigação pela Polícia Federal (PF) e por órgãos corregedores", completou. O governador paulista participa hoje do encerramento 58ª edição do Congresso Estadual de Municípios, realizado pela Associação Paulista de Municípios (APM), onde estará ao lado de Aécio.

Ontem, o ex-governador de São Paulo José Serra também se manifestou sobre o tema e disse que em ano eleitoral "não é recomendável instalar uma CPI". Já o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teme que uma CPI em ano eleitoral acabe sendo partidarizada.

Indagado sobre o esforço que Aécio no Congresso Nacional para instalar a CPI na próxima terça-feira, Alckmin respondeu: "Este é um tema do Congresso Nacional", disse, logo antes de encerrar a entrevista coletiva.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasPasadenaAlckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.