Alckmin se reúne com dirigentes de sindicatos da Federação dos Químicos

'Temos um histórico muito positivo com Geraldo Alckmin ainda dos tempos de Mário Covas', disse o presidente da Fequimfar

estadao.com.br

04 Maio 2010 | 17h35

SÃO PAULO - O pré-candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, participou nesta terça-feira de um café da manhã com dirigentes de sindicatos da Federação dos Químicos de São Paulo (Fequimfar) na capital paulista. Por cerca de uma hora e meia, o tucano falou para lideranças de cerca de 30 sindicatos, da Força Sindical, que representam cerca de 155 mil trabalhadores.

 

Alckmin tem comandado pessoalmente a tarefa de buscar apoio no movimento sindical paulista para as campanhas dele e do presidenciável José Serra (PSDB). O encontro com os químicos acontece três dias depois das festas das centrais sindicais para comemorar o 1º de Maio, da qual nem Alckmin nem Serra participaram.

 

O presidente da Fequimfar, Sergio Luiz Leite, disse que, embora não deva haver nenhum posicionamento oficial da entidade nesta eleição, a maioria dos filiados tende a apoiar Alckmin em São Paulo. "Temos um histórico muito positivo com Geraldo Alckmin ainda dos tempos de Mário Covas", afirmou.

 

No cenário nacional, Leite acredita que a maior parte das lideranças deve marchar com a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff.

 

Na reunião, Alckmin sinalizou mais reduções de ICMS para diversos setores no Estado, caso vença a eleição. Essa é uma das reivindicações dos sindicatos da Fequimfar, que pedem diminuição da alíquota de 18% de ICMS sobre medicamentos.

 

Os dirigentes também questionaram a construção de penitenciárias no interior paulista, uma das maiores queixas dos prefeitos em relação ao governo estadual. Alckmin prometeu dar continuidade à expansão da rede de ensino profissionalizante no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.