Alckmin se recusa a comentar denúncia sobre parente

Sua última declaração a respeito do incidente foi na última quinta-feira, 12, quando defendeu 'investigação absoluta' do caso em evento no Palácio dos Bandeirantes

Daiene Cardoso, da Agência Estado,

18 de janeiro de 2011 | 14h23

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se recusou nesta terça-feira, 18, a comentar sobre o suposto envolvimento da empresa de seu sobrinho Lucas César Ribeiro em organização que, em troca de contratos para fornecimento de merenda escolar, doava somas elevadas para campanhas eleitorais de prefeitos da região do Vale do Paraíba.

De acordo com reportagem publicada na segunda-feira pelo Jornal da Tarde, que reproduziu depoimento de um ex-funcionário da empresa, a Velório e Funerária Pindamonhangaba fazia transporte de merenda escolar em carros funerários para a Verdurama, investigada pelo Ministério Público Estadual de São Paulo (MPE-SP) por suposto envolvimento no esquema.

Durante visita a Campus Party, na capital paulista, o governador disse ainda que não pretende mais falar sobre investigação envolvendo o empresário Paulo César Ribeiro, irmão da primeira-dama Lu Alckmin, apontado como o lobista da organização. "Eu já falei sobre isso", respondeu a pergunta dos jornalistas. Na última quinta-feira, 12, em evento no Palácio dos Bandeirantes, o governador havia defendido "investigação absoluta" no episódio, "independente de que seja". "Se é uma denúncia, ela envolve coisa pública. Uma investigação absoluta", reafirmou.

O governador confirmou a nomeação da ex-secretaria de Saneamento e Energia de São Paulo, Dilma Pena, para a presidência da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A informação foi divulgada na noite da segunda pelo atual presidente da empresa, Gesner de Oliveira, em mensagem na rede de microblogs Twitter. "Ela é uma pessoa da área que conhece muito a empresa e foi secretária de Saneamento e Energia do governo (José) Serra até dezembro", ressaltou. "É uma das melhores gestoras que conheço", elogiou.

Tudo o que sabemos sobre:
denúnciaAlckminSPsobrinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.