Alckmin se diz surpreso com pesquisa

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin disse queficou surpreso por receber 4% das declarações de intenções de voto paraas eleições presidenciais de 2002 - apenas dois pontos percentuaisabaixo do Ministro da Saúde, José Serra, que obteve 6% da preferênciados entrevistados - de acordo com pesquisa realizada pelo Ibope paraConfederação Nacional da Indústria divulgada ontem. "Em relação a minhapesquisa acho que foi feita aqui na Brasilândia", brincou o governadorque foi ao bairro da zona norte inaugurar um centro esportivo de umaescola estadual.Para o governador a pesquisa é estatística e não pode ser contestada,mas a eleição de dá de forma diferente na prática da política. "Sob oponto de vista político é cedo para qualquer prognóstico. É diferenteporque há um ano e meio das eleições a pesquisa tem valorquestionável."A boa colocação de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 28%, oex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PPS) com 13% e o governador de MinasGerais, Itamar Franco (PMDB) que obteve 12%, foi atribuída por Alckmincomo reação da população a "campanha" que os pré-candidatos tem feitono País. "Veja que o Lula vai disputar a quarta eleição é nautral queas pessoas lembrem dele. O PSDB não lançou candidato porque é cedo eisso pode encurta o governo", enfatizou.Mesmo com a surpresa de figurar na pesquisa Alckmin foi taxativo ereafirmou que não é candidato a presidência em 2002. "O PSDB vaidefinir no início do ano que vem um candidato que não será GeraldoAlckmin, será outro. Temos bons nomes como Serra, Tasso Jereissati(governador do Ceará) e o Paulo Renato (ministro da Educação) e aítrabalhar e ter todas as condições para o segundo turno."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.