Alckmin retoma campanha, agora com dieta saudável

Após susto com intoxicação, tucano promete trocar sanduíches, chocolates e cafés por iogurte com mel

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

30 Julho 2008 | 00h00

Depois de três dias de internação por causa de uma intoxicação alimentar, o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, deixou ontem o Instituto do Coração (Incor) pregando uma dieta mais saudável na campanha eleitoral. A mudança de hábito começou ontem mesmo em uma caminhada, à tarde, no Itaim Bibi, bairro nobre da zona oeste da capital. Em quase duas horas de entra-e-sai de lojas e bares, Alckmin tomou apenas água."Nós médicos pregamos, 24 horas por dia, qualidade de vida, mas na prática... Eu não almoçava e trocava a refeição por chocolate e sanduíche. Estava tomando 22, 25 cafés por dia, e com açúcar", disse. "Você vai juntando tudo: se alimenta de forma errada, dorme pouco, estresse, e o organismo dá um stop", resumiu, antes de sentenciar: "Agora é só iogurte com mel."Alckmin estava internado no Incor desde sábado à noite. Ele havia chegado de uma viagem à Colômbia e teve inicialmente uma intoxicação alimentar, que evoluiu para uma crise de diverticulite - inflamação do intestino. No hospital, Alckmin fez vários exames, entre eles, uma colonoscopia para análise da mucosa do intestino."Já vinha postergando havia algum tempo. Médico é mau paciente. Vai empurrando os problemas. Devia ter feito uma colonoscopia no ano passado. Mas está tudo bem", disse, afastando qualquer suspeita de um problema mais sério de saúde. O esforço agora, emendou, é recuperar os dias parados. "Estou com toda a energia", afirmou. "Graças a Deus, (a internação) deu uma enxugada aqui, com a dieta zero", brincou, apalpando a barriga.Não foi só o cafezinho que Alckmin evitou ontem. As coxinhas de padaria, salgadinho preferido do tucano para encerrar suas caminhadas, também ficaram de fora do cardápio. Ao passar em frente de uma loja de produtos naturais, o candidato comprou um pote de mel puro. De um lojista, ganhou um presente um tanto incompatível com sua nova fase light: um avental para churrasco e um chapéu de mestre-cuca.ACUPUNTURISTADepois dos cuidados médicos no Incor, Alckmin fez campanha ontem com seu acupunturista, Jou Eel Jia, a tiracolo. "O dr. Jou está aí de segurança", disse o ex-governador. Na verdade, Jou estava atuando ontem em outra frente. Com um maço de adesivos do candidato, ajudou a distribuir o material aos lojistas. "Ele está muito bem. Não está precisando de um acupunturista agora. Estou aqui como amigo", afirmou Jou.Alckmin não quis comentar a suspeita de uso da máquina pelo adversário Gilberto Kassab (DEM) ao enviar aos subprefeitos da cidade e-mail pedindo "ação" em locais que seriam alvo de uma pesquisa de intenção de voto na semana passada. "Essa questão da utilização da máquina pública cabe à Justiça Eleitoral, que já está avaliando o caso, julgar. Vamos aguardar", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.