Alckmin recebe honraria do governo de Sergipe

O candidato derrotado a Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB), disse, em Aracaju, que como oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) "estará se preparando ao longo dos próximos quatro anos para ser candidato novamente". Questionado se essa afirmação significava a sua disposição de concorrer mais uma vez ao cargo de presidente, Alckmin desconversou: "Quem é oposição quer vir a ser governo. Poderá não ser eu, mas do partido". Ele e o governador da Bahia, Paulo Souto (PFL) receberam, nesta tarde, a Ordem do Mérito Aperipê, a maior honraria concedida pelo governo de Sergipe, numa solenidade no foyer do Teatro Tobias Barreto.Alckmin assegurou que o seu partido e o PFL estarão unidos para fazer uma oposição responsável ao governo Lula, "não dá forma birrenta que o PT fez com o Fernando Henrique Cardoso, mas criticando, pois, um governo inteligente se beneficia com uma oposição atuante". Sobre a adesão de outros partidos com tucanos e pefelistas para aumentar o bloco oposicionista, Alckmin não se referiu a siglas, mas garantiu que PSDB e PFL estão abertos para conversas.Controladores de vôoDurante a solenidade, coube ao governador de Sergipe, João Alves Filho(PFL), as maiores críticas ao governo Lula. Ao lamentar o fato de Alckmin não ter almoçado com ele e Paulo Souto, por atrasos no vôo, João criticou o ministro da Defesa, Valdir Pires, por ter concordado com o que chamou de "tumulto" dos controladores de vôo e disse que o então presidente dos Estados Unidos, Ronaldo Reagan, resolveu problema semelhante em 24 horas."Aqui, assistimos um ministro se solidarizar com os controladores que fazem esse tumulto", afirmou. João Alves disse, também, que "o Brasil vive um pesadelo que provoca danos terríveis e nos deixa a falsa impressão que a corrupção é algo corriqueiro", referindo-se ao presidente Lula.Alves afirmou que Alckmin e Souto são "grandes estadistas" e que não podem ser comparados "aos mensaleiros e outros que levaram dólares em peças íntimas". E por serem estadistas mereciam a Ordem do Mérito Aperipê, homenagem criada em 1972 pelo governo sergipano. Na gestão de João Alves, Alckmin e Souto são a quinta e sexta autoridades, respectivamente, a receberem a honraria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.