Alckmin quer obrigar cadastramento de celular pré-pago

O governador Geraldo Alckmin confirmou que enviará até segunda-feira à Assembléia Legislativa, projeto de lei obrigando o cadastramento de todos os celulares pré-pagos no Estado de São Paulo. Segundo ele, esses aparelhos tornaram-se uma arma nas mãos do crime organizado. "Venho pedindo essa providência há mais de um ano à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mas até agora nada foi feito". Segundo ele, o ideal seria que a medida fosse tomada no âmbito federal, pois sua eficácia seria maior. "Como a Anatel não se sensibilizou vamos fazer isso em São Paulo".Os adquirentes de aparelhos novos serão cadastrados nos pontos de venda. Em caso de perda, furto ou extravio, eles terão que comunicar à Polícia. Os donos de celulares já existentes terão prazo para se identificarem.Alckmin disse que está estendendo o sistema de informatização das informações criminais - o chamado Infocrim - para a Grande São Paulo e região de Campinas. "Em seguida vamos estender a todo o interior". Respondendo a queixas de policiais contra a falta de efetivo, equipamentos, armas e até gasolina em distritos e delegacias, ele disse que nomeará nesta segunda-feira 800 novos escrivães de polícia e, até a próxima sexta-feira, mais 260 policiais militares. EO governador aguarda a votação em regime de urgência na Assembléia do projeto que substituirá 6 mil policiais por estagiários nas unidades da Secretaria da Segurança Pública. Segundo Alckmin, não tem faltado recursos para essa área. "Compramos mais veículos, armas, munição e coletes à prova de balas". Ele disse que a polícia está nas ruas e vem trabalhando. "Prendemos até agora 282 seqüestradores e outros 18 foram mortos em combate com policiais, o que representou o fim de mais de 40 quadrilhas". Segundo ele, o combate à violência passou a ser uma grande batalha diária do governo. "Mas não vamos resolver isso em 24 horas". Alckmin disse que a participação dos municípios em ações sociais, que reduzam a possibilidade do crime, também é importante.Problema nacionalO governador Geraldo Alckmin manifestou apoio à iniciativa da bancada de deputados paulistas de enviar documento ao Congresso Nacional pedindo prioridade na votação de projetos na área de Segurança Pública. Segundo ele, o aumento da violência não afeta apenas o Estado de São Paulo, sendo antes um problema nacional."Poucos sabem mas o Estado de Pernambuco é o que tem, proporcionamente à população, o maior número de seqüestros". Evitando dar conotação política à questão - Alckmin é virtual candidato a reeleição pelo PSDB - o governador lembrou ter entregue ao presidente Fernando Henrique Cardoso, um conjunto de 12 medidas, visando aperfeiçoar o combate à criminalidade. Uma das principais cobranças é o aumento do efetivo da Polícia Federal que tem entre suas funções o combate ao crime organizado e ao narcotráfico."É fundamental que a PF seja ampliada e mais equipada". Segundo ele , a Federal tem apenas 700 policiais no Estado de São Paulo, dos quais somente 200 atuam na área operacional. "O Estado tem 124 mil policiais civis e militares, o que dá uma idéia da desproporção". Ele disse que o tráfico de armas, cujo combate é uma das tarefas da PF, é hoje um dos grande problemas do Estado. Alckmin voltou a defender a criação de uma força-tarefa integrada pela PF, Receita Federal e, onde for possivel, pelas Forças Armadas para combater a criminalidade junto com as policias estaduais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.