Alckmin pronto para garantir venda da Cesp

O governo paulista está preparado para uma batalha jurídica contra o governador Itamar Franco (PMDB-MG), a fim de garantir a privatização da geradora Cesp Paraná. Mas a Procuradoria Geral do Estado (PGE) só irá se manifestar após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o caso. O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) negou hoje que o possível adiamento do leilão, marcado para a próxima quarta-feira, cause preocupação. Para Alckmin, a atitude de Itamar tem objetivo eleitoral. "O governador Itamar Franco está no direito dele. Vamos aguardar com tranqüilidade o pronunciamento do Supremo e respeitá-lo qualquer que seja. A PGE vai se manifestar no momento adequado", disse Alckmin. Ontem, Itamar entrou no STF com ação direta de inconstitucionalidade contestando as regras do leilão, que impedem estatais nacionais de participar do processo. A ação contém pedido de suspensão cautelar do leilão. Apesar de manifestar tranqüilidade, Alckmin saber que a venda da estatal pode ser adiada. Caso o STF conceda liminar ao governo mineiro, o leilão ficará automaticamente suspenso. "Isso não é novidade para nós. Os caminho deles, dos opositores da privatização, é sempre postergar, buscar liminares, suspensão." Alckmin lembra que todos os leilões anteriores, no Estado, sofreram contestação. Itamar quer participar do leilão da Cesp Paraná por meio da Cemig. Na avaliação de Alckmin, a atitude de Itamar Franco faz parte da campanha eleitoral de 2002. "Infelizmente, isso já faz parte da luta eleitoral que se avizinha. As questões jurídicas envolvendo a Cesp são superáveis e não têm nada a ver com Minas. Então, vamos manter um bom relacionamento. Nós, paulistas, temos muitas raízes mineiras", disse Alckmin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.