Alckmin promete divulgar convênios do Estado até sexta

O governador Geraldo Alckmin confirmou hoje que até o final da semana estarão publicadas na internet todas as emendas parlamentares referentes a convênios do Estado em 2010 e 2011. A promessa já havia sido feita ontem por meio do secretário da Casa Civil Sidney Beraldo em sequência às denúncias do deputado Roque Barbieri (PTB) de que 25% a 30% dos parlamentares da Assembleia Legislativa de São Paulo estão enriquecendo com a venda de emendas. "Até sexta-feira elas serão publicadas", disse o governador.

WLADIMIR DANDRADE, Agência Estado

27 de setembro de 2011 | 14h32

As denúncias serão investigadas pela Comissão de Ética da Casa a partir de requerimento do deputado Carlos Gianazzi (PSOL). O colegiado deve fazer sua primeira reunião nesta quinta-feira, segundo informou o deputado Carlão Pignatari (PSDB). O deputado disse que a denúncia é gravíssima. "Caiu como uma bomba na Casa", afirmou.

A investigação também é defendida pelo deputado Marcos Zerbini (PSDB). "Toda denúncia tem de ser investigada. Agora, é importante que elas sejam acompanhadas de provas, senão fica um clima de especulação que é ruim para toda a Assembleia". O parlamentar afirmou que ele e seus colegas irão pressionar Barbieri a dizer o que sabe sobre o caso. "Quem faz uma acusação deste tipo tem que falar, porque coloca em suspeita toda a Casa", disse Zerbini.

O deputado estadual Orlando Bolçone (PSB) conta que há uma certa expectativa na Assembleia por conta das denúncias que pegaram os parlamentares de surpresa. "Sou deputado de primeiro mandato e nunca vi ou ouvi qualquer menção sobre venda de emendas. É uma questão primordial para a imagem da Assembleia", considerou.

Os deputados estiveram hoje com o governador Geraldo Alckmin para a assinatura de criação da Agência Paulista de Habitação Social (Casa Paulista).

Mais conteúdo sobre:
emendasSPconvêniosAlckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.