Alckmin programa giro completo pelo interior do estado de São Paulo

Tucano agenda para maio uma série de encontros pelo estado para discutir propostas para cada região

24 de abril de 2010 | 18h01

Silvia Amorim, de O Estado de S. Paulo

 

SÃO PAULO- O pré-candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, vai rodar o interior paulista no próximo mês em um ciclo de encontros para discutir seu programa de governo. O foco dos debates será a promoção do desenvolvimento regional, um dos motes da campanha tucana.

 

Veja também:

linkSem Lula, PT lança pré-candidatura de Mercadante ao governo de SP

 

Alckmin vai apostar no discurso de que, com o terreno preparado, após todos os investimentos feitos em infraestrutura pela gestão José Serra, é hora de interiorizar o desenvolvimento. Fomentar economias locais, explorando a vocação de cada região. Como e com que intensidade poderá se dar a participação do estado nesse processo é o que o PSDB quer descobrir nos fóruns.

 

"Temos regiões bastante diferentes em nosso Estado. Um plano de desenvolvimento eficaz precisa respeitar essas diferenças, a vocação das regiões", disse Alckmin ao Estado de S. Paulo.

 

O ex-governador também confirmou que o deputado estadual Sidney Beraldo (PSDB) será o coordenador-geral da sua campanha. A equipe tucana começa no domingo, 25, a discutir o calendário dos encontros regionais.

 

O que está definido, por enquanto, é que eles acontecerão em maio. O número de reuniões e os locais ainda estão em aberto. Uma candidata a abrir os trabalhos é a região de Presidente Prudente, onde há duas semanas estão sendo feitas reuniões preliminares.

 

"É um instrumento que vai possibilitar ao PSDB colher os novos desafios, aspectos particulares de cada área para essa nova etapa do desenvolvimento de São Paulo", diz o deputado Edson Aparecido (SP).

 

Além da elaboração do programa de governo, o ciclo de debates se prestará a outras duas tarefas. A primeira é dar visibilidade ao candidato em um período de "vazio" entre a desincompatibilização - a saída do cargo de secretário de Desenvolvimento - e o início oficial das campanhas, em julho. Alckmin irá pessoalmente aos encontros.

 

Por enquanto, o tucano tem aproveitado convites de prefeitos, paróquias e políticos locais para não cair no esquecimento dos eleitores. Na semana passada, ele esteve no 9.º Fórum Empresarial, em Comandatuba, na Bahia.

 

O PSDB também espera fazer nesses encontros um mapeamento das ações e obras feitas ou em andamento pela atual gestão. As informações vão embasar a propaganda eleitoral de Alckmin. Os tucanos têm planos de fazer material de campanha regionalizado.

 

Sindicatos

 

O objetivo é ter uma plateia bastante eclética nos fóruns. Serão convidados lideranças políticas, empresários, representantes de associações comerciais e da sociedade civil organizada e sindicatos de trabalhadores.

 

A presença desta última categoria, um segmento em que o adversário, o PT, tem penetração bem mais intensa, é um pedido do próprio candidato.

 

Em meio às críticas do PT de que os tucanos não têm nada de novo a apresentar após 15 anos de comando de São Paulo, Alckmin não hesita em afirmar que representa o "governo da continuidade", mas, ressalta: "Com inovações".

 

Em visita a prefeitos, porém, o ex-governador tem assegurado que os compromissos de Serra são os dele. O pré-candidato tem se comprometido a tocar obras ou programas que não tiveram tempo de sair do papel ou que não poderão ser concluídos até o fim do ano.

 

Ironicamente, Alckmin faz em São Paulo um discurso bem parecido ao adotado na disputa nacional pela presidenciável governista, Dilma Rousseff (PT). A petista prega a continuidade do governo Lula com avanços.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.