Alckmin prepara nova ofensiva eleitoral na Grande SP

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), prepara uma nova ofensiva para ampliar a presença de seu partido e impedir o avanço petista na região metropolitana de São Paulo, área que hoje detém 47,8% do eleitorado do Estado de São Paulo. O governador, que em junho anunciou investimentos da ordem de R$ 6,3 bilhões no Grande ABC, o berço político do PT, irá firmar até o fim deste mês uma parceria com a Universidade de São Paulo (USP) para a elaboração de um estudo técnico sobre os desafios e gargalos no Vale do Juqueri.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

07 de julho de 2011 | 13h24

A área, formada pelos municípios de Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha e Mairiporã, integra os chamados "cinturões vermelhos", extensões onde o PT angariou a maioria dos votos nas eleições estaduais de 2010. Naquele pleito, o candidato do PT, Aloizio Mercadante, obteve 116.666 votos, enquanto Alckmin teve um total de 107.866 votos.

"Nós estamos fazendo um projeto específico para a região, uma prioridade dada pelo governador", disse o secretário de Desenvolvimento Metropolitano de São Paulo, Edson Aparecido. O protocolo de intenções para a elaboração do estudo no Vale do Juqueri foi assinado no fim de junho e a expectativa é de que o resultado seja apresentado à administração estadual em setembro, quando deverá ser elaborado um plano de desenvolvimento local para a região, nas áreas de infraestrutura, transporte, meio ambiente, habitação, planejamento urbano e desenvolvimento econômico.

O projeto é feito em parceria com o Consórcio Intermunicipal da Bacia do Juqueri (Cimbaju), composto por representantes dos cinco municípios. "A grande questão é tentar criar nessas regiões metropolitanas, de grande densidade populacional, novas centralidades econômicas", ressaltou o secretário.

Ensino e transportes

O governo estadual estuda expandir na região o ensino técnico e desenvolver a rede de transportes, num esforço para atrair a instalação de empresas nos municípios. Uma outra alternativa em estudo para a atração de negócios é a concessão de incentivos ficais. "A ideia é de que, por essa intervenção planejada e integrada com os municípios, seja criada uma oferta de emprego real, com a instalação de empresas", afirmou o secretário.

A região da Bacia do Juqueri concentra hoje cerca de 600 mil habitantes, o que representa em torno de 3,5% da população na região metropolitana de São Paulo. Com exceção de Francisco Morato, administrada hoje pelo PT, os outros municípios têm prefeitos filiados ao PSDB e ao DEM. O desafio eleitoral dos tucanos não está, portanto, na esfera municipal, mas na estadual. "O problema é que nos últimos anos o governo estadual se mostrou bastante ausente na região, o que tem fortalecido o PT", reconheceu uma liderança tucana local.

"Em Franco da Rocha, o governo estadual tem uma dívida histórica com o município", destacou o presidente municipal do PT na cidade, Francisco Daniel Celeguim, o Kiko. O presidente do PT observa ainda que, no município, iniciativas do governo federal, como o Programa Bolsa Família, acabam tendo impacto maior entre os eleitores do que medidas estaduais.

Para reverter esse quadro, e evitar derrotas nas eleições de 2012, o governador de São Paulo tem desde março agido diretamente nas áreas de maior concentração populacional no Estado de São Paulo. A ordem do Palácio dos Bandeirantes é consolidar marcas da atual gestão, fincando bandeiras em regiões onde o PT apresenta um histórico de conquistas.

No Grande ABC, por exemplo, o governador anunciou vultosos investimentos, os quais incluem a construção de um Veículo Leve sobre Trilho (VLT) e a unificação do Bilhete Ônibus Metropolitano (BOM). A meta do governador é unificar o transporte intermunicipal até o final de 2011, o que deverá render dividendos eleitorais aos candidatos tucanos em 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
Alckminofensiva eleitoralGrande SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.