Alckmin planeja arco rodoviário para ligar as margens do Porto de Santos

SANTOS - O candidato do PSDB ao Governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta quinta-feira, 2, que além de dar continuidade ao projeto do atual governo que prevê a construção uma ponte ligando às cidades de Santos e Guarujá, em substituição a travessia de balsas, vai estudar um "arco rodoviário" para ligar as duas margens do Porto de Santos.

Rejane Lima, de O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2010 | 16h53

 

"Isso é um estudo que precisa ser feito: primeiro o acesso a Santos, que muitas vezes você tem problema de congestionamento, então nós vamos estudar muito como melhorar a questão do acesso a Santos", explicando que esse estudo incluiria outra ligação da margem esquerda com a margem direita do porto. "Porque essa ponte (cujo projeto foi iniciado no atual governo) é para substituir a balsa, ela não será uma ponte para carga, para caminhões", disse.

 

Alckmin lembrou que o projeto dessa ponte está em fase de licenciamento ambiental e custará em torno de R$ 700 milhões. "A ponte é importante e não vai ser feita nesse governo porque não vai dar tempo de fazer, caberá ao próximo governo e nós colocamos como absoluta prioridade".

 

Questionado sobre o fato de seu antecessor José Serra ter afirmado diversas vezes que a construção de uma ligação seca entre as margens do porto, destinada ao transporte de cargas, era responsabilidade do Governo Federal e não do Estado, Alckmin apaziguou a situação afirmando que o Governo Paulista apenas "se anteciparia" para agilizar a obra.

 

"Eu acho o seguinte: o Serra tem razão, assim como nos estamos falando de porto, de melhorar a logística do porto, é importante que o Governo Federal participe, mas o Estado pode se antecipar, fazendo todos os estudos, vendo o custo, questão ambiental, e aí trabalharmos juntos pra viabilizar", disse. Ele lembrou ainda que pretende ser "parceiro na expansão do porto" e que a ponte para o transporte de veículos leves também ajudará ao porto à medida que vai retirar as balsas do acesso ao cais, deixando o canal mais livre para o tráfego de navios.

 

Alckmin também prometeu concluir outras obras de infraestrutura importantes para o Estado e para a Baixada, como a conclusão do trecho Leste do rodoanel que segundo ele, vai ligar "o mais importante aeroporto brasileiro, Cumbica, com o maior porto brasileiro que é Santos". "Vamos ajudar o Governo Federal no tramo Sul do ferroanel e fazer a rede paulista de dutos com a iniciativa privada. Hoje todo o álcool é transportado por caminhão, tirar os caminhões da estrada, tudo por dutovia", explicou.

 

Entretanto, o candidato não listou obras de infraestrutura como prioridades em sua administração e reafirmou que suas prioridades são "Saúde, Educação e Segurança Pública". Ele reafirmou que vai criar mais um hospital regional na região e também prometeu um novo batalhão da Polícia Militar.

 

"Nós pretendemos ter mais um batalhão da Polícia Militar na área continental de Santos e Cubatão. Santos já tem batalhão, só que nos vamos desmembrar, Cubatão não tem, então seria um batalhão que se responsabilizaria por Cubatão e pela área continental de Santos. Mais Polícia para proteger a população", disse o candidato, que inaugurou o comitê central da campanha na região hoje em Santos, na avenida Conselheiro Nébias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.