Alckmin para Lula: 'Baixar o nível é a violação de sigilo'

Candidato ao governo de São Paulo respondeu declarações do presidente, que disse que Serra joga 'rasteiro'

Tatiana Fávaro, da Agência Estado,

04 de setembro de 2010 | 15h57

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, respondeu neste sábado, 4, às críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao uso eleitoral do caso da quebra de sigilo de tucanos. Nos últimos dias, tanto o Alckmin quanto o candidato à Presidência José Serra têm usado o escândalo em seus programas eleitorais para atacar petistas. Em Atibaia, interior de São Paulo, o candidato tucano ao governo estadual afirmou que "baixar o nível de campanha é a violação de sigilo".

 

Veja Também

link'Cade esse tal de sigilo que não apareceu?', questiona Lula

linkPT-SP nega que falso procurador da filha de Serra tenha se filiado ao partido

linkSerra diz que em janeiro avisou Lula de 'armação'

linkTucano 'lança factoide todo dia', afirma Dilma

linkNo rádio, Alckmin critica PT por quebra de sigilo

 

Lula acusou Serra de baixar o nível da campanha e colocar sua família em posição de vítima. "Baixar o nível da campanha é violação de sigilo. Isso é que é um fato grave, que precisa ser apurado, verificada a origem disso", disse Alckmin. "Não é a primeira vez que isso acontece e é preciso verificar e apurar exemplarmente esse fato reincidente pelo PT", afirmou. "A sociedade brasileira espera um esclarecimento convincente".

 

Alckmin comentou pesquisas que apontam a candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff, com 51% das intenções de voto contra 27% de José Serra do PSDB. "Eu acho que o Serra tem chance. Ainda temos quatro semanas praticamente para a eleição e nessa época eu tinha 24% para a eleição presidencial e terminei com 42%", afirmou. O candidato do PSDB tem 50% das intenções de voto para o governo do estado de São Paulo contra 24% do petista Aloizio Mercadante. "Na eleição estadual é humildade e trabalho."

 

O candidato passeou pela Feira de Flores e Morangos de Atibaia e participou de danças e manifestações culturais no evento que recebe cerca de 10 mil pessoas por dia, até 19 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.