Alckmin nega crise no PSDB após nova desfiliação

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), avaliou que a saída do ex-deputado federal Gustavo Fruet do PSDB, anunciada hoje em entrevista à imprensa realizada em Curitiba, é uma "questão municipal" e afastou mais uma vez a hipótese de a sigla enfrentar uma crise política. "O Gustavo Fruet foi um bom deputado federal, mas isso é uma questão municipal, da eleição da capital, de Curitiba", disse. A saída do ex-parlamentar contabiliza mais uma perda ao PSDB, que passou por uma debandada no primeiro semestre, com a desfiliação de seis vereadores paulistanos.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

13 de julho de 2011 | 12h36

Em entrevista concedida ontem à liderança do PSDB no Senado Federal, Fruet justificou a sua decisão ao "silêncio constrangedor" do partido sobre sua reivindicação de assumir a direção municipal tucana em Curitiba. "Eu sempre defendi clareza por parte do PSDB. Esse silêncio reinou e eu entendo que agora é o momento de tomar um novo caminho", disse. No anúncio, o ex-deputado não informou a que sigla pretende se filiar. A tendência, segundo aliados, é de que o PDT seja o seu destino, em um acordo que teria a chancela do PT.

A filiação de Fruet a um novo partido é o desfecho de uma crise que se estende desde o início do ano. Após perder a corrida ao Senado, em 2010, o ex-deputado iniciou articulações dentro do PSDB para se viabilizar como candidato à prefeitura da capital paranaense em 2012. Ele, contudo, encontrou resistência junto ao governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que estaria apoiando a reeleição do atual prefeito, Luciano Ducci (PSB).

Tudo o que sabemos sobre:
AlckminPSDBsaídaFruet

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.