Alckmin não quer convocação extraordinária da Assembléia

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, não quer convocar extraordinariamente a Assembléia Legislativa Estadual durante o mês de recesso, em julho, para votar projetos considerados importantes para o Estado. "Se as lideranças se comprometerem a votar os projetos nos primeiros 10 dias de agosto, a gente evita convocação extraordinária em julho, e evita despesas", comentou ele.Apesar disso, Alckmin afirmou que o governo trabalha com a hipótese da convocação extraordinária. "Estamos avaliando. Temos alguns projetos que seria muito bom que fossem votados", disse. Entre eles, estão o projeto que estabelece o valor de R$ 12 mil para pagamento de precatórios de pequeno valor, o do Seguro Rural, o da criação de uma agência de incentivo ao turismo paulista e o que regulamenta a queimada da cana, entre outros.Alckmin recebeu hoje, no Palácio dos Bandeirantes, o capitão e lateral-direito da Seleção, Cafu. Eles trataram da parceira que será feita entre o Estado e a fundação para construção de um complexo esportivo e educacional em Jardim Irene, bairro de origem do jogador que fica na divisa entre São Paulo e a cidade de Embu, na região metropolitana da Capital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.