Alckmin, Mercadante e Skaf dividem altar durante missa em Jacareí

Candidatos aproveitaram presença em feira agropecuária para fazer promessas e atacar adversários

João Carlos de Faria, especial para o Estado / JACARAÍ, SP,

18 Julho 2010 | 15h23

Três dos principais candidatos ao Governo de São Paulo, nas eleições desse ano, participaram na manhã deste domingo, 18, de uma missa para cerca de 15 mil pessoas, celebrada em Jacareí, a 100 km de São Paulo, durante a 28ª Feira Agropecuária local, a Fapija.

 

Tucano e petista trocam cumprimentos durante missa em Jacareí       Foto: Nilton Cardin

 

Geraldo Alckmin (PSDB), Aloizio Mercadante (PT) e Paulo Skaf (PPS), além de Luiz Carlos Prates, o Mancha (PSTU), do cantor e candidato ao Senado pelo PC do B, Netinho de Paula, e de outros políticos ficaram lado a lado no altar e chegaram a dar as mãos na oração do Pai Nosso.

 

Apenas Netinho e Mancha - que chegou atrasado e saiu rapidamente ao final da cerimônia - não comungaram. Alckmin, Skaf e Mercadante demonstraram familiaridade com os ritos e chegaram a cantar algumas músicas, com letras adaptadas a melodias sertanejas.

 

Após a missa, ao conversar com a imprensa, os candidatos aproveitaram para fazer promessas, mas não deixaram de criticar os adversários. Mercadante, por exemplo, disse que vai cuidar da vinda de mais universidades públicas para o Vale do Paraíba e estender a rodovia Carvalho Pinto até Aparecida.

 

Ele também disse que São Paulo está perdendo indústrias para outros estados por causa da "guerra fiscal" e disse que vai criar um conselho estadual de desenvolvimento. "Vamos proteger a nossa indústria e trazer uma fonte pública de financiamento. O PSDB privatizou o Banespa e Nossa Caixa e deixou o Estado sem um instrumento de financiamento do desenvolvimento".

 

Mercadante prometeu ainda diálogo com o funcionalismo. "O funcionalismo em geral está profundamente insatisfeito e quer mudanças em São Paulo. Vamos tratar os professores com diálogo e respeito. Não vai ser com borrachada que a gente vai criar uma boa escola em São Paulo", disse também o candidato petista.

 

Alckmin

 

O líder nas pesquisas, Geraldo Alckmin, que é frequentador há anos da missa e sentindo-se à vontade num de seus redutos que é o Vale do Paraíba, foi cercado por populares e posou para fotos com os eleitores. Depois caminhou pela feira acompanhado pelo presidente do Sindicato Rural de Jacareí, Paulo Mercadante Turcci, parente de Aloizio Mercadante, que é nascido na cidade.

 

Alckmin também fez promessas e garantiu que no dia 02 de janeiro de 2011, sendo eleito, começará a trabalhar para baixar impostos e iniciará o pagamento de precatórios. "Eu pretendo pagar mais de R$ 2 bilhões por ano, priorizando pessoas de mais idade, valores mais baixos e pessoas doentes e acelerar o pagamento do alimentar", afirmou.

 

Paulo Skaf prometeu que algumas das prioridades do Vale do Paraíba serão equalizadas em seu governo, caso seja eleito. Entre as prioridades estariam a duplicação da rodovia dos Tamoios e a ampliação do porto de São Sebastião.

 

"Vamos priorizar as obras que são promessas há muitos anos. Os políticos tradicionais têm o costume das promessas sem realização", disse. Segundo ele, se as barreiras ambientais impedem esses projetos, eles não deveriam estar há 20 anos sendo prometidos pelos governos.

 

Ele disse que acredita na viabilidade do trem bala, que, na sua avaliação, vai alavancar ainda mais o progresso do Vale do Paraíba. "Já deveríamos ter um trem-bala no Estado. Não é a única prioridade, mas é uma delas", disse ao comentar a implantação do Trem de Alta Velocidade (TAV), prometida pelo governo federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.