Alckmin lamenta morte de prefeito de Campinas

A cúpula da polícia paulista está mobilizada para tentar elucidar, no menor espaço de tempo possível, o assassinato do prefeito de Campinas, Antônio da Costa Santos (PT), garantiu hoje o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Alckmin chegou a Campinas no início da tarde. "A morte de Toninho foi uma perda pessoal e política muito grande. Ele era um administrador preocupado com os destinos da cidade, homem público de valor e um ser humano com uma simpatia que contagiava a todos", disse o governador.Alckmin evitou particularizar a questão da violência urbana. "O mundo todo vive um momento de perplexidade, como se passasse por uma reflexão de toda a civilização", disse, estabelecendo uma referência com os atentados de hoje nos Estados Unidos.A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), afirmou hoje que espera que o governo do Estado esgote todas as possibilidade de solução do crime que tirou a vida do prefeito de Campinas. "Espero que o governo do Estado vá até o fim nas investigações", afirmou Marta. Ela disse que está "estarrecida" com a morte do colega, a quem chamou de "competente e pessoa do bem".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.