Alckmin indica que secretários podem ser mantidos

O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), indicou na tarde de hoje que a secretária de Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, não deve ser o único nome da atual gestão a ser mantido no próximo governo paulista.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

16 de novembro de 2010 | 19h57

Em encontro com jornalistas, no qual anunciou os quatro primeiros nome de sua equipe, o tucano elogiou o atual quadro de secretários e avaliou que será feito um trabalho de continuidade. "O (José) Serra tem uma ótima equipe", respondeu, ao ser perguntado sobre a permanência de outros nomes na equipe. "É um trabalho de continuidade. Nós vamos manter e apoiar os programas (do governo atual)", acrescentou.

O tucano não foi o único a apontar a hipótese de manutenção de nomes. A secretária Linamara Battistella disse, após o anúncio de seu nome, que "outros secretários devem se manter (no cargo)", endossando a opinião do deputado federal Silvio Torres (PSDB-SP), um dos integrantes do núcleo duro do gabinete de transição ao governo de São Paulo. "Não vejo por que não, nós estamos em processo de discussão", avaliou. Um dos secretários que deve se manter na pasta é Antonio Ferreira Pinto, da Segurança Pública. Durante o anúncio, o governador eleito elogiou o seu trabalho e disse que pediu conselho ao atual titular da pasta sobre a indicação do coronel Admir Gervásio para a Secretaria da Casa Militar.

Além de Ferreira Pinto, outros nomes que são cotados para continuar no cargo são os secretários Lourival Gomes, da Administração Penitenciária, Paulo Renato, da Educação, e Mauro Ricardo, da Fazenda.

Tudo o que sabemos sobre:
governoSPsecretariadoGeraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.