Alckmin fecha campanha com dívida de quase R$ 20 mi

A campanha do candidato tucano à Presidência da República, Geraldo Alckmin, que perdeu a eleição para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, comunicou nesta terça-feira ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que ficou com uma dívida de R$ 19,9 milhões. O comitê financeiro nacional informou que gastou R$ 81,9 milhões e arrecadou R$ 62,02 milhões, segundo dados divulgados pelo TSE. A dívida terá de ser assumida pelo PSDB. Alckmin recebeu doações milionárias durante a campanha presidencial. O Banco Itaú deu R$ 3,5 milhões. O Banco Mercantil de São Paulo, R$ 2 milhões. A Caemi Mineração e Metalurgia, R$ 3 milhões. A construtora Gutierrez, R$ 1,5 milhão. E a Gerdau Longos, R$ 3 milhões. Também houve intensa transferência de recursos de diretórios nacional e regional do PSDB.Segundo as informações divulgadas pelo TSE, as maiores despesas da campanha do tucano foram com produção de programas de rádio, televisão ou vídeo que totalizaram R$ 15,7 milhões. As despesas com publicidades com material impresso totalizaram R$ 10,7 milhões. Com eventos para promoção da candidatura foram consumidos R$ 6,8 milhões. Foram pagos R$ 5,4 milhões para terceiros que prestaram serviços. Com transporte e deslocamento foram consumidos R$ 4,8 milhões. Foram gastos outros R$ 3,4 milhões com pesquisas e testes eleitorais.Na prestação de contas de Lula, consta uma dívida de R$ 9,876 milhões. o partido recebeu R$ 88,768 milhões de doações, e gastou R$ 103,313 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.