Alckmin faz campanha 'como se tivesse 1%' das intenções de voto

Primeiro colocado nas pesquisas para o governo de São Paulo, tucano participa de procissão para Santo Expedito

Sandro Villar, de O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2010 | 14h53

O pré-candidato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta segunda-feira, 19, que, mesmo liderando as pesquisas, irá fazer sua campanha como se tivesse 1% das intenções de voto. "Prefiro trabalhar como se tivesse 1% (das intenções). Vou trabalhar com fé e servir às pessoas. Estou muito animado para trabalhar e servir a população do Estado de São Paulo", disse o ex-governador de São Paulo em coletiva de imprensa em Presidente Prudente.

 

Alckmin lembrou que ainda não é oficialmente candidato, já que a formalização só acontece na convenção do partido, em 12 de junho. Por isso, o pré-candidato afirmou que irá "calçar as sandálias da humildade".

 

Nesta tarde, o ex-governador participará da festa de Santo Expedito, na cidade de mesmo nome. Questionado se irá pedir ajuda ao santo, famoso por realizar causas impossíveis, para vencer as eleições, ele disse que não mistura política com religião. "A política cabe a nós políticos; não é tarefa de santos", disse.

 

Alckmin disse que não veio pedir ajuda para a candidatura, e sim que ter comparecido por ter sido convidado para a festa e irá participar da procissão às 15 horas.

 

O ex-governador desembarcou em Presidente Prudente, onde deu coletiva. Em seguida, seguiu para a cidade de Pirapozinho, onde foi recebido pelo prefeito Marcos Antonio Branbilla (PSDB). O prefeito convidou Alckmin para ocupar a cadeira, que se negou.

 

Debruçado sobre um mapa rodoviário do Estado, o pré-candidato prometeu cumprir todos os compromissos firmados pelo ex-governador José Serra (PSDB). Questionado se receberia também receberia na prefeitura o pré-candidato da oposição, Branbilla disse que receberia todos candidatos. "Assim como o Lula recebeu o (presidente do Irã, Mahmoud) Ahmadinejad, como líder do executivo, receberia qualquer um", disse Branbilla. O prefeito lembrou que o PT tem apenas um vereador na cidade, e que este dá sustentação ao prefeito da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.