Alckmin explica importância da reunião de governadores

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ressaltou nesta manhã a importância da reunião de todos os governadores, hoje, em Brasília. "É uma reunião importante, dos 27 governadores do Brasil, de todos os partidos, o que mostra a preocupação com o grave problema do desemprego e a queda de renda, especialmente da população mais pobre", disse o governador. Segundo ele, esses problemas trazem consequências em outros setores, como o da segurança pública, que não tem recebido atenção do governo federal. "Existem dois fundos constitucionais, o Fundo de Segurança e o Fundo Penitenciário. Este ano, sequer assinamos convênio e o recurso do fundo de segurança do ano passado não foi pago absolutamente nada até agora", afirmou o governador, em entrevista ao Bom Dia Brasil, da TV Globo.Ele ressaltou, no entanto, que às vésperas da reunião dos governadores em Brasília o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, lhe garantiu, por telefone, que o governo pagará os dois fundos em atraso até o fim de maio.Geraldo Alckmin define como "inédita" a reunião dos governadores para discutir questões como educação, o fundo de exportação e infra-estrutura. Para ele o problema dos Estados é a falta de crescimento econômico. "Quando a economia não cresce, é evidente que a arrecadação cai. Os Estados e municípios passam a ter enorme dificuldade. O que aumentou na carga tributária não é partilhado com o Estado e o município - o Cofins, que é exclusivamente para a área federal - e ainda aumenta a inadimplência, em razão das dificuldades das empresas", observou. Para o governador, a reforma tributária foi modesta e fez o mínimo necessário como a questão da DRU e da CPMF.Invasões de terraGeraldo Alckmin manifestou também a preocupação com a invasão de terras produtivas nos Estados. "Todos os dias nós (Estados) temos feito reintegração de posses contendo riscos de conflitos e acidentes. Graças a Deus temos feito com tranquilidade e bom-senso", disse o governador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.