Alckmin evita comentar dobradinha tucana

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), evitou comentar a possibilidade de o prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), candidatar-se ao governo paulista. Apesar da insistência de jornalistas que participaram nesta quarta-feira de um evento no Palácio dos Bandeirantes, Alckmin assegurou que não conversou com nenhum representante tucano sobre a formação de uma chapa com Serra para o governo estadual e ele para a Presidência da República."Esta conversa eu li pela imprensa, ninguém teve nenhuma conversa comigo a esse respeito, nenhuma. Nem o prefeito, nem o presidente do partido, Tasso Jereissati, nem o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, nem o governador Aécio (Neves), que está fora do País", afirmou Alckmin, logo após uma cerimônia em que foi apresentada a nova chefe da Casa Militar, coronel Fátima Ramos Dutra. "São notícias apenas da imprensa e quem deve se manifestar é o próprio prefeito", disse.Alckmin disse que não vê razão para o PSDB adiar mais a escolha do nome que irá encabeçar o chapa do partido na corrida presidencial deste ano. "Eu não vejo razão para isso demorar mais. Acho que as coisas todas estão maduras para que se tenha rapidamente uma decisão", afirmou o governador, após cerimônia em que foi apresentada a nova chefe da Casa Militar, coronel Fátima Ramos Dutra.Alckmin, porém, evitou estabelecer uma data limite para o anúncio do nome do candidato tucano. Perguntado se o anúncio poderia ser feito até o próximo domingo, Alckmin insistiu que não há um prazo definido. "Não sei se é domingo, pode ser sábado, pode ser segunda. Não tem uma data". O governador também não confirmou a perspectiva de um encontro com os principais caciques tucanos nos próximos dias para bater o martelo sobre a questão presidencial, mas também não descartou essa possibilidade. "Pode ser que tenha, mas não tem nada marcado ainda", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.