Alckmin encerra programa de concessões rodoviárias

O governador Geraldo Alckmin não vai retomar o Programa de Concessões Rodoviárias, iniciado em 1998 pelo seu antecessor, Mário Covas. O projeto, que estabelece a transferência à iniciativa privada da operação, manutenção e ampliação da infra-estrutura das rodovias em troca da cobrança de pedágios, parou no ano passado com a concessão de 12 dos 21 lotes previstos inicialmente. Foram entregues ao gerenciamento da iniciativa privada 3.408 dos 22 mil quilômetros de rodovias estaduais. O projeto inicial previa o repasse de mais nove lotes englobando outros 1.152 quilômetros. Segundo Alckmin, o governador Covas, falecido em março, já havia desistido de dar sequência ao programa. Ele admitiu que o alto custo dos pedágios vinha gerando muito descontentamento. Durante o programa, o número de praças de cobrança triplicou no Estado de São Paulo. "Os lotes que foram concedidos permanecem e ponto final, não vamos abrir novas concessões", disse ontem, durante um roteiro de visitas no interior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.