Alckmin elogia relação de Dilma com governadores

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fez hoje uma série de elogios à presidente Dilma Rousseff e disse ter muito respeito pela forma com que ela se relaciona com governadores de outros partidos. "Tenho aprendido muito nesse meu novo período de governo à frente do Estado de São Paulo. Tenho olhado com respeito o modo como a presidente tem se relacionado com governadores que, como eu, pertencem a campos opostos no espectro político do Brasil", afirmou durante discurso na cerimônia "As Empresas Mais Admiradas do Brasil", promovida pela revista Carta Capital, em São Paulo.

ANNE WARTH, Agência Estado

31 de outubro de 2011 | 21h48

"Não há interesses de São Paulo que não sejam interesses igualmente do Brasil. Quem pensa diferente ou está enganado ou mal intencionado." Alckmin elogiou também a disposição da presidente em criar um ambiente de negócios que propicie a livre concorrência e a liberdade dos empreendedores. "A presidente Dilma deu um sinal muito importante ao determinar que os novos terminais de aeroportos sejam concedidos à iniciativa privada", afirmou. "Isso também faz parte da democracia."

Alckmin aproveitou seu discurso para desejar a rápida recuperação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi diagnosticado com um câncer neste fim de semana. "Quero deixar minha palavra de apoio ao presidente Lula e desejar sua pronta recuperação. Com a fé e o apoio dos brasileiros, tenho certeza de que ele vai superar este momento", disse. O anfitrião do evento, diretor de redação da revista Carta Capital, Mino Carta, também manifestou apoio ao ex-presidente Lula. "Tenho certeza de que ele será vitorioso mais uma vez e que vai ganhar mais essa batalha", afirmou.

Mino Carta informou ainda que o ex-presidente da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), Eduardo Rocha Azevedo, adquiriu 30% das ações da Carta Capital.

Tudo o que sabemos sobre:
AlckminDilmagovernadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.