Alckmin e Serra devem conversar ainda hoje

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, admitiu a possibilidade de conversar com o prefeito da Capital, José Serra, ainda hoje, sobre os entendimentos que definirão o candidato tucano que irá disputar o Palácio do Planalto nessas eleições. Apesar da afirmativa, Alckmin insistiu que não há nenhum encontro agendado.O governador voltou a falar da importância da legenda respeitar o prazo de 31 de março, previsto na legislação para governantes se desincompatibilizarem de seus cargos a fim de concorrerem a cargos nessas eleições.Sobre a conversa com Serra, ele destacou: "Não tem nada marcado, mas podemos nos falar". Ele também negou que tenha conversado ontem (domingo)com o prefeito, por telefone, conforme divulgado pela imprensa. Segundo ele, a última conversa que teve com o prefeito foi na última quinta-feira.AdiamentoO governador disse que não vê motivos para o adiamento da definição do PSDB, prevista para amanhã, com relação à escolha de quem será o candidato. Apesar de insistir que um novo atraso na decisão não seria um problema, Alckmin lembrou que a data de amanhã (dia 14) foi marcada pelo presidente do partido, senador Tasso Jereissati (CE)."O presidente do partido marcou a data de amanhã para que se equacione essa definição partidária, tenho a impressão de que isso está mantido", disse ele, logo após participar de uma reunião do Conselho Estadual de Relações Internacionais e Comercio Exterior (Cericex). "Acho (que esta questão) pode se resolver amanhã, não vejo razão (para mais um adiamento), mas se precisar adiar alguns dias, não vejo problemas", emendou.Os ministros Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e Roberto Rodrigues (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que deveriam participar deste evento de hoje, cancelaram presença.Apoio de AécioGeraldo Alckmin, caracterizou como "importantíssimo" o fato de ter obtido o apoio do governador de Minas, Aécio Neves, para representar o PSDB na corrida presidencial deste ano.Alckmin, que disse ter tomado conhecimento da notícia pela imprensa, preferiu dedicar o restante de suas declarações sobre este assunto a elogios ao governador mineiro."O Aécio é meu irmão, gosto muito dele. E é interessante, o Aécio é uma grande revelação", disse Alckmin, numa referência ao fato de o governador mineiro já ter demonstrado sua capacidade de articulação na época em que ocupava a presidência da Câmara dos Deputados e que agora, ao governar o Estado de Minas Gerais, se mostrou também um bom administrador.

Agencia Estado,

13 de março de 2006 | 13h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.