Alckmin e Serra criticam férias de ministros

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin e o prefeito José Serra criticaram hoje o fato de ministros estarem em férias em função das festas de fim de ano. Ambos tentaram evitar críticas diretas aos ministros, mas defenderam que a atividade política exige um trabalho constante, em qualquer época do ano. "Política é serviço e se você não fica em cima, se você não lidera este trabalho, é evidente que as coisas andam mais devagar", afirmou Alckmin.Alckmin disse também que existem atualmente dois times distintos na política nacional sendo um do "trabalho, resultado e eficiência" e outro do "pouco resultado, pouca eficiência e muita retórica". Questionado sobre se a afirmação significava um ataque ao governo Lula, Alckmin afirmou: "Para quem achar que serve a carapuça...".Tanto Serra quanto Alckmin mantiveram uma agenda cheia no final do ano, com inaugurações e vistorias de obras. Perguntado por jornalistas, Serra afirmou que postura de dar continuidade aos trabalhos no fim do ano deveria ser seguida também pela administração federal. "A cidade não pára", afirmou Serra. "Então temos que continuar trabalhando o tempo inteiro".Serra e Alckmin assinaram hoje um convênio entre a prefeitura e o Estado para dar continuidade às obras de ligação da Avenida Jacu-Pêssego, na zona Leste de São Paulo, à Rodovia Ayrton Senna. A obra, orçada em R$ 230 milhões, receberá R$ 130 milhões do Estado enquanto o restante será pago pela administração municipal. A obra foi iniciada há quase vinte anos e até hoje não foi concluída. A previsão é de que fique pronta em 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.