Alckmin e Marta estão empatados em SP, diz pesquisa

Segundo dados da DataFolha, Kassab segue atrás de ministra e ex-governador pela disputa da prefeitura

REUTERS

17 de fevereiro de 2008 | 10h00

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) e a ministra Marta Suplicy (PT) estão tecnicamente empatados, à frente, na corrida pela Prefeitura de São Paulo, revelou pesquisa Datafolha divulgada neste domingo, 17, a oito meses das eleições municipais. O atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM), aparece em terceiro, também tecnicamente empatado com Paulo Maluf (PP) e Luiza Erundina (PSB). A margem de erro da pesquisa, que ouviu 1.092 pessoas no dia 14, é de três pontos percentuais para cima ou para baixo. Assim, na primeira pesquisa do ano do instituto, Alckmin tem 29 por cento das intenções de voto, Marta fica com 25 por cento, Kassab obtém 12 por cento, Maluf recebe 10 por cento e Erundina, 8 por cento. Nenhum deles teve crescimento ou perda de intenções de voto clara, apenas dentro da margem de erro. Na pesquisa anterior, de novembro, Alckmin tinha 26 por cento, Marta ficava com 24 por cento, Kassab obtinha 13 por cento, Maluf recebia os mesmos 10 por cento e Erundina, 9 por cento. A disputa pela Prefeitura da capital paulista tem colocado em confrontação Alckmin e o atual governador, o também tucano José Serra, que apóia Kassab como candidato. O ex-governador tucano quer levar o partido unido para a campanha em torno do seu nome, o que ameaça a aliança PSDB-DEM. O diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, afirmou ao jornal Folha de S.Paulo que, concorrendo entre eles, Alckmin e Kassab "dividem os votos" e "isso beneficia Marta" porque disputam eleitor com o mesmo perfil. A pesquisa mostrou que, se Alckmin ficar fora da corrida eleitoral, Marta assumirá a liderança, obtendo 32 por cento das intenções de voto, enquanto Kassab recebe 19 por cento. No cenário sem Kassab, Alckmin conquista 34 por cento das intenções de voto e Marta fica com 28 por cento. No item "rejeição", Maluf tem taxa de 52 por cento, seguido por Marta (28 por cento), Kassab (26 por cento), Erundina (21 por cento) e Alckmin (14 por cento). Em um segundo turno, Alckmin venceria a disputa tanto contra Marta quanto contra Kassab, por 52 a 40 por cento e 59 a 26 por cento, respectivamente. Marta bateria Kassab por 50 a 39 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAPESQUISASP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.