Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Alckmin e Doria medem forças em diretórios de SP

Governador e prefeito querem seus aliados em postos-chave da máquina partidária tucana

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2017 | 05h00

Com a decisão da Executiva Nacional do PSDB de antecipar as convenções municipais e estaduais do partido, aliados do governador Geraldo Alckmin e do prefeito João Doria buscam correligionários afinados com seus projetos eleitorais para ocupar postos-chave na máquina partidária.

Ambos tiveram atritos com os atuais dirigentes do partido – Alckmin com o presidente do PSDB paulista, deputado estadual Pedro Tobias, e Doria com o presidente do diretório municipal, vereador Mário Covas Neto.

O processo de sucessão interna foi tema de uma reunião realizada na noite desta segunda-feira, 14, na sede estadual do PSDB, na capital. Os novos dirigentes municipais serão eleitos em outubro, e os estaduais em novembro.

Os dois grupos querem blindar prefeito e governador, ambos cotados para disputar o Palácio do Planalto em 2018, contra eventual “fogo amigo” em ano eleitoral.

“Considero que o Geraldo Alckmin é o grande líder do partido. Sendo assim, é legítimo e natural que os presidentes do PSDB municipal e estadual sejam alinhados com o projeto político dele”, disse o deputado federal licenciado Floriano Pesaro, secretário de Desenvolvimento Social do governo paulista.

Nomes. Ele está entre os nomes ventilados pelo Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para assumir a presidência do PSDB estadual. Os outros nomes cotados são os deputados federais Vanderlei Macris, Miguel Haddad e Silvio Torres, todos alinhados com Alckmin. 

Já Doria se aproximou dos prefeitos da região metropolitana. Pelo menos 30% dos delegados da convenção estadual são de tucanos da capital.

Interlocutores do prefeito reconhecem que existem hoje dois polos de poder no partido, mas afirmam que não há disputa entre ele e Alckmin na escolha dos novos dirigentes tucanos. Na capital, os nomes preferidos de Doria são o do vereador João Jorge e do prefeito regional de Pinheiros, Paulo Mathias. Ambos apoiam a candidatura de Doria ao Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.