Alckmin é contra CPI imediata no caso Waldomiro

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje que é contra a instalação imediata de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o o ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Presidência, Waldomiro Diniz. "O caso é grave, precisa ser apurado com absolutos rigor e transparência para não deixar nenhuma dúvida. Mas não se pode instalar uma CPI 24 horas depois da denúncia", afirmou.Para o governador, apenas se a investigação revelar que há necessidade da instalação de uma CPI é que ela deve ser aberta. "Acho que não deve ser feita neste momento", disse, acrescentando que é preciso aguardar esta primeira apuração e seus desdobramentos para verificar até onde vai a denúncia, "que envolve extorsão, dinheiro ilícito e interferência em concorrência pública".Apesar de ter sido indagado duas vezes pelos jornalistas sobre sua opinião a respeito de um possível afastamento do ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, Alckmin não fez nenhuma declaração sobre o assunto. O governador fez as declarações sobre o caso Waldomiro Diniz após a entrega de 700 apartamentos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) em Guainazes, na Zona Leste da capital neste sábado. O caso Waldomiro Diniz é a primeira grande denúncia de corrupção envolvendo integrantes do governo Lula. O subchefe foi demitido na quinta-feira, mas sua divulgação foi feita apenas ontem, quando a revista Época antecipou sua edição semanal denunciando um escândalo sobre uma fita de vídeo em que Diniz pede doações de campanha e pro9pina ao bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.